Relação das atualizações do site no ano de 2017

15/Mai Harold Cruse: Marxismo e o Negro (parte 2). "O Freedom Now Party é baseado na ideia de conseguir poder político negro independente nos Estados Unidos por meios culturais, econômicos e administrativos. Desse modo, o movimento negro na América fica alinhado com a natureza real dos eventos mundiais envolvendo os povos não-brancos. Nesse realinhamento das forças sociais mundial a realidade é que as nações capitalistas brancas, incluindo todas as diferentes classes nessas nações, da mais alta burguesia até o proletariado pobre viram, de fato, estratos burgueses e relativamente de classe média em comparação com os povos não-brancos que viram, de fato, os “proletários do mundo”.". Colaboração: Carlos Alberto Silva de Souza, Marcos Jundensaider Knijnik, Lars Moirai e Fernando Araújo.
14/Mai Trotski: Contra o Nacional-Comunismo (as Lições do Plebiscito ''Vermelho''). Folheto reeditado nos escritos de Leon Trotsky, Volume III, suplemento à revista ''Quarta Internacional", 1959. Colaboração Eduardo José e Fernando Araújo
03/Mai Karl Marx: Reflexões de um Jovem sobre a Escolha de uma Profissão. "o guia que deve nos conduzir na escolha de uma profissão é o bem-estar da humanidade e nossa própria perfeição. Não se deve pensar que esses dois interesses possam estar em conflito, que um tenha que destruir o outro, pelo contrário, a natureza humana é constituída de modo que ele apenas pode alcançar sua própria perfeição trabalhando pela perfeição, pelo bem, de seus iguais. Se ele trabalhar apenas para si mesmo, ele pode até se tornar famoso, um grande sábio, um excelente poeta, mas ele nunca poderá ser perfeito, um homem pleno." Colaboração Lucas Fabricio e Fernando Araújo
02/Mai Abriu o arquivo: Harold Cruse, com o texto: Marxismo e o Negro (parte 1). "o real assunto em pauta é: quem é destinado a ser a força radical dominante e decisiva na América – Radicais negros ou radicais brancos. E essa é uma questão que irá e precisa ser colocada fora do alcance de qualquer “teoria” existente, marxista ou qualquer outra, porque não há “teoria” que cobre tal desenvolvimento. Tal teoria americana (se tal foi algum dia escrita) tem de vir de negros. Assim, nós temos a situação mais sem precedentes já vista no mundo ocidental – um movimento marxista com uma teoria social supra-temporal que não funciona nas massas e um movimento negro de massas, dinâmico e viável o qual é frustrado por não ter uma teoria social ou programa para levar adiante." Colaboração: Carlos Alberto Silva de Souza, Marcos Jundensaider Knijnik, Lars Moirai e Fernando Araújo.
23/Abr Abriu o arquivo: Clifton DeBerry, com o texto: Uma Resposta a Harold Cruse. "eu sou um revolucionário negro e socialista. Antes de adotar o marxismo como a minha filosofia, eu fiz um estudo intensivo de todos os métodos de pensamento e da base teórica de várias filosofias. Eu cheguei à conclusão de que: as ferramentas mais eficientes para entender o capitalismo e como colocar em movimento o processo de sua mudança foram providas pelo marxismo. Eu examinei as revoluções que aconteceram ao redor do mundo. Esses estudos me disseram que os conceitos necessários para libertar a espécie humana através da necessária retirada do poder da classe capitalista são aqueles do socialismo científico." Colaboração: Carlos Alberto Silva de Souza, Marcos Jundensaider Knijnik, Lars Moirai e Fernando Araújo.
15/Mar Francisco Martins Rodrigues: Da Criação do PCP à Traição Revisionista - História do PCP e do Movimento Operário (6). "O Partido Comunista Português foi criado em 1921. Para a sua fundação contribuiu o formidável eco que causou em todos os proletários do mundo inteiro a revolução socialista de Outubro. Na sua criação destacaram-se velhos militantes sindicalistas que, face aos fracassos do “apoliticismo” anarco-sindicalista, compreendiam cada vez mais a necessidade dum organismo “extra-sindical” capaz de conduzir a luta política e organizado à semelhança do partido bolchevique.". Fonte: Francisco Martins Rodrigues - Escritos de uma vida. Colaboração Ana Barradas e Fernando Araújo
10/Fev Francisco Martins Rodrigues: A Traição Revisionista de 1956 - História do PCP e do Movimento Operário (5). "A degeneração revisionista do antigo PCP, como em tantos outros países, foi impulsionada pelo XX Congresso do PC da União Soviética. Mas poderia ter sido evitada. A principal responsabilidade pela transformação do PCP num partido de reformas, num partido burguês para operários, cabe aos seus dirigentes da época. Eles renegaram conscientemente o marxismo-leninismo, escolheram de livre vontade o caminho do revisionismo. E fizeram-no através dum verdadeiro golpe, à traição.". Fonte: Francisco Martins Rodrigues - Escritos de uma vida. Colaboração Ana Barradas e Fernando Araújo
09/Fev Lénine: Marxismo e Revisionismo. "Inútil falar da ciência e da filosofia burguesas, ensinadas escolasticamente pelos professores oficiais para embrutecer as novas gerações das classes possuidoras e “amestrá-las” contra os inimigos de fora e de dentro. Esta ciência não quer nem ouvir falar de marxismo, declarando-o refutado e destruído; tanto os jovens homens de ciências, que fazem carreira refutando o socialismo, como os velhos decrépitos, que guardiães dos legados de toda a espécie de “sistemas” caducos, se lançam sobre Marx com o mesmo zelo." Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
27/Jan Francisco Martins Rodrigues: As Lutas de Massas na Fundação do Partido - História do PCP e do Movimento Operário (4). "A fundação do PCP em 6 de Março de 1921 inseriu-se num grande ascenso de lutas da classe operária. O Partido não nasceu por efeito de debates teóricos abstractos mas para responder a necessidades reais sentidas pela vanguarda operária do nosso país.". Fonte: Francisco Martins Rodrigues - Escritos de uma vida. Colaboração Ana Barradas e Fernando Araújo
26/Jan Abriu o arquivo: Enrique Cirules, com a obra O Império de Havana. "... compreendi que não seria possível escrever um livro sobre o narcotráfico sem abordar o mundo financeiro e seus vínculos com os serviços de inteligência norte-americanos, além dos centros da Máfia radicados nos Estados Unidos que, durante anos, de uma maneira reiterada, entrelaçados com essas mesmas forças, se haviam dedicado a atacar ou perseguir o processo revolucionário cubano.". Colaboração Fernando Araújo
25/Jan Francisco Martins Rodrigues: A Greve de 1943 - História do PCP e do Movimento Operário (3). "Mais de 50 mil operários em greve durante uma semana na região de Lisboa, pondo em xeque o governo de Salazar, dando nova autoridade política à classe operária e ao seu Partido Comunista e abrindo novos caminhos para a insurreição popular antifascista — eis o que significou a grande greve de 7 de Julho a 4 de Aqosto de 1943.". Fonte: Francisco Martins Rodrigues - Escritos de uma vida. Colaboração Ana Barradas e Fernando Araújo
24/Jan Jean-Paul Sartre: A Morte Lenta de Andreas Baader. "No olhar dos Direitos Humanos, um prisioneiro deve ser tratado como um homem. Certo, ele está preso, mas não deve ser objeto de maus tratos, de nada que tenha por objetivo a morte ou a degradação da pessoa humana.". Fonte: Carta Maior. Colaboração Alberto Sartorelli e Fernando Araújo
23/Jan Francisco Martins Rodrigues: A Traição Social-Democrata - História do PCP e do Movimento Operário (2). "Em Portugal, ao contrário da maioria dos países europeus, o Partido Comunista não surgiu por uma cisão de esquerda no Partido Socialista, mas por uma cisão no movimento anarco-sindicalista. Porquê? Porque a social-democracia portuguesa atingira já tal grau de podridão que dela nada podia sair de revolucionário.". Fonte: Francisco Martins Rodrigues - Escritos de uma vida. Colaboração Ana Barradas e Fernando Araújo
19/Jan Lênin: Sobre a Questão da Dialética. "O conhecimento humano não é (ou não segue) uma linha reta, mas uma curva que se aproxima infinitamente a uma série de círculos, a uma espiral. Todo fragmento, seção ou segmento de uma curva pode ser convertido (transformado unilateralmente) em uma reta independente completa que então (como as árvores impedem a visão do bosque) conduz ao pântano, ao obscurantismo clerical (onde fica ancorada pelos interesses das classes dominantes).". Fonte: Frente Comunista dos Trabalhadores. Colaboração: Humberto Rodrigues e Fernando Araújo.
17/Jan Francisco Martins Rodrigues: Primeiros Passos da Acção Sindical (1922-24) - História do PCP e do Movimento Operário (1). "Em 1922, o PCP apenas iniciara a sua edificação. Apesar do enorme prestígio da revolução russa e de Lenine entre as massas exploradas, os progressos do Partido eram lentos. Havia só algumas centenas de membros e a organização de base limitava-se a umas escassas dezenas de “comunas” por freguesias. Não existiam células de empresa.". Fonte: Francisco Martins Rodrigues - Escritos de uma vida. Colaboração Ana Barradas e Fernando Araújo
Janeiro a Dezembro de 2016
Janeiro a Dezembro de 2015
Janeiro a Dezembro de 2014
Janeiro a Dezembro de 2013
Janeiro a Dezembro de 2012
Julho a Dezembro 2011
Janeiro a Junho de 2011
Janeiro a Dezembro de 2010
Janeiro a Dezembro de 2009
Janeiro a Dezembro de 2008
Janeiro a Dezembro de 2007
Janeiro a Dezembro de 2006
Outubro de 1999 a Dezembro de 2005
MIA Seção em Português